Não existe uma contradição entre combater a pandemia e proteger os mais vulneráveis: em caso de descontrole do contágio e difusão da Covid-19, não apenas o sofrimento e os óbitos se acumularão, como tem sido visto em outros países, mas ela ceifará proporcionalmente muito mais a saúde e a vida dos mais pobres e vulneráveis. E, se ainda não existe vacina ou medicamento totalmente eficaz disponíveis até o momento, a única alternativa para o combate a epidemia é a redução dos contatos, do número de pessoas com as quais se interage e, claro, das aglomerações. É a política que tem sido chamada indistintamente de quarentena, isolamento social, confinamento, apesar de haver distinções técnicas entre elas.

Clique aqui para ler a publicação.