Observatório do Trabalho de Minas é fruto de parceria entre instituições

Parceria entre Sedese, FJP, Fundacentro e Dieese, o Observatório divulga informações sobre o mercado de trabalho mineiro

A Fundação João Pinheiro (FJP) participou nesta quinta-feira (5/5) do lançamento do Observatório do Trabalho de Minas Gerais. Ao lado da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), da Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro) e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a FJP compõe o núcleo do Observatório que produz e dissemina informações e análises sobre o mercado de trabalho e a situação do emprego no estado.

O Observatório do Trabalho conta com um sistema integrado de informação e conhecimentos específicos sobre o mundo do trabalho, por meio da elaboração de produção técnica – boletins, relatórios e outros pareceres, avançando para além da disponibilização de dados e indicadores quantitativos, incorporando também análises qualitativas.

O presidente da FJP, Helger Marra, destacou que o Observatório subsidia importantes tomadas de decisão, fortalecendo políticas públicas em Minas. “O mercado de trabalho é um dos pilares fundamentais da economia e quanto mais detalhes tivermos, mais robusta será nossa análise e a elaboração das políticas públicas”, ressaltou o presidente.

A secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, comemorou o lançamento do Observatório do Trabalho. “O Observatório oferece evidências para encontrarmos respostas como o porquê de termos uma grande captação de vagas de emprego, mas uma baixa colocação no mercado de trabalho. Ele possibilitar a elaboração de políticas públicas mais assertivas, o que é um ganho para Minas”, declarou.

Atuação técnica FJP- A parceria entre as instituições promove a discussão e análise conjunta sobre dados referentes à área de trabalho, emprego, geração de renda, educação profissional e economia, de modo a contribuir para a produção de boletins, estudos e indicadores.

Para a coordenadora de Estudos Populacionais da Fundação João Pinheiro, Denise Maia, o Observatório consolida um trabalho que já era pauta tradicional da FJP. “As tratativas para a criação do Observatório começaram em 2019, a FJP já produzia sistematicamente boletins, indicadores e informativos sobre o mercado de trabalho, como a Pesquisa de Emprego e Desemprego, descontinuada em 2014”.

Em 2019, A Fundação João Pinheiro produziu, na série Indicadores FJP, um indicador e dez informativos, entre eles três temáticos; em 2020 foram 14 informativos, sendo dois temáticos e uma série Estatísticas e Informações, que faz a análise mais completa do mercado de trabalho; em 2021, foram três informativos FJP, nove informativos FJP e Sedese, já no âmbito do Observatório do Trabalho, e quatro boletins para o Observatório. Já em 2022, a FJP produziu até o momento dois boletins e cinco informativos, também para o Observatório do Trabalho.

As produções técnicas do Observatório do Trabalho estão disponíveis no endereço http://observatoriotrabalho.mg.gov.br/. Outras publicações da FJP sobre a temática, podem ser acessadas em http://fjp.mg.gov.br/mercado-de-trabalho/.