Apesar da gravidade da crise de saúde pública e da economia em 2020, este foi um ano excepcional para o agronegócio estadual. O núcleo do setor – produção da agricultura, da pecuária e da produção florestal – foi beneficiado por incremento do volume ofertado, estimulado pela vigorosa apreciação dos preços das principais commodities agropecuárias. Além disso, algumas atividades a jusante e a montante da cadeia produtiva na agroindústria mineira (fabricação de alimentos, têxtil, de produtos químicos derivados do fosfato e de papel e celulose) exibiram resultados positivos no volume físico da produção, diferentemente de segmentos da cadeia metalomecânica (metalurgia, fabricação de veículos, de máquinas e equipamentos e de produtos de metal) e, nos serviços, das atividades com menor encadeamento com o setor primário (serviços de informação e comunicação, atividades imobiliárias, saúde e educação privadas, artes, cultura, esportes e recreação e serviços domésticos). Estas últimas foram, proporcionalmente, muito mais afetadas pela crise sanitária.

Clique aqui para ler a publicação.