Imprimir

Equipe da Fundação João Pinheiro participa de nova etapa do Projeto Rondon

Data de publicação .

 

 

 

 

Instituição contribui com o projeto desde 2006 e fará sua 34ª operação 

Oito alunos e dois professores do curso de Administra√ß√£o P√ļblica da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) embarcam nesta quinta-feira, 13 de julho, em um avi√£o da For√ßa A√©rea Brasileira com destino ao distrito de Castelo dos Sonhos, em Altamira, no Estado do Par√°. A equipe ir√° participar da Opera√ß√£o Serra do Cachimbo, 34¬™ etapa do Projeto Rondon, que acontece at√© 30 de julho.

Coordenado pelo Minist√©rio da Defesa, o Rondon tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento local sustent√°vel e para a constru√ß√£o e promo√ß√£o da cidadania de comunidades carentes. Realizado em parceria com Institui√ß√Ķes de Ensino Superior de todo o pa√≠s, o projeto atua junto a autoridades municipais e lideran√ßas comunit√°rias em regi√Ķes que apresentam baixo √ćndice de Desenvolvimento Humano (IDH) e em √°reas isoladas do territ√≥rio nacional que necessitem de mais aporte de bens e servi√ßos.

Al√©m do distrito de Castelo dos Sonhos, no Par√°, a Opera√ß√£o Serra do Cachimbo vai contemplar outros oito munic√≠pios, todos no Estado do Mato Grosso, com a mobiliza√ß√£o total de 161 volunt√°rios de 16 Institui√ß√Ķes de Ensino Superior. Priorizando a√ß√Ķes que gerem benef√≠cios permanentes √†s comunidades, principalmente aquelas relacionadas √† melhoria do bem estar social e √† capacita√ß√£o de gestores p√ļblicos, a iniciativa tamb√©m consolida o sentido de responsabilidade social na forma√ß√£o do universit√°rio brasileiro.

Experi√™ncia - De acordo com o gerente de Extens√£o e Rela√ß√Ķes Institucionais da Escola de Governo da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro, Mauro Silveira, o Rondon foi pioneiro nas atividades de extens√£o/imers√£o da institui√ß√£o, hoje refor√ßadas por outros projetos desenvolvidos em √Ęmbito estadual.

‚ÄúO Projeto Rondon representa uma oportunidade √ļnica aos nossos alunos. Por ser um programa nacional, propicia a eles levarem as boas pr√°ticas aqui trabalhadas a outros Estados brasileiros, al√©m da possibilidade de interagir com estudantes de diversos cursos e diferentes cantos do pa√≠s, atuando em parceria com m√ļltiplas institui√ß√Ķes‚ÄĚ, afirma. ‚ÄúConviver com realidades t√£o distintas, especialmente no contato direto com as comunidades, acarreta a eles uma compreens√£o profissional √≠mpar, al√©m de um enorme crescimento pessoal‚ÄĚ, completa.

Durante os 15 dias da opera√ß√£o no distrito de Castelo dos Sonhos, os estudantes da FJP v√£o atuar em parceria com alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na gest√£o de documentos e ministrar oficinas nas √°reas de Inform√°tica; Empreendedorismo; Economia Familiar; Gest√£o Educacional; Gest√£o de Neg√≥cios; Atendimento ao P√ļblico; Empoderamento Feminino; Assessoria Parlamentar; Jovens Profissionais; Jardinagem e Horta Vertical; e Fossa S√©ptica, entre outras atividades.

Castelo dos Sonhos - Localizado a mais de mil quil√īmetros da sede do munic√≠pio de Altamira, o distrito tem popula√ß√£o de 15 mil habitantes, que pouco ou nenhum contato t√™m com a cidade.¬†Sua ocupa√ß√£o foi motivada pelo garimpo de ouro, explora√ß√£o da madeira e, atualmente, pelo o agroneg√≥cio, com o cultivo de cereais e a cria√ß√£o de gado para corte.

No local h√° tr√™s escolas p√ļblicas, creche, unidade b√°sica de sa√ļde, posto policial, ilumina√ß√£o el√©trica e servi√ßo de internet, mas n√£o h√° √°gua tratada, esgoto e telefonia m√≥vel.¬†Banhado pelo rio Kuru√°, o distrito abriga a comunidade ind√≠gena dos Kaiap√≥s, al√©m de v√°rios assentamentos de pequenos agricultores familiares.

Para o professor √Āgnez de Lelis Saraiva, que vai acompanhar os alunos da FJP, a Opera√ß√£o Serra do Cachimbo se apresenta como um grande desafio, especialmente para a equipe escalada para o trabalho em Castelo dos Sonhos. ‚ÄúVamos atuar com dificuldades extremas, tanto no que se refere √† infraestrutura para atender nossas necessidades b√°sicas, quanto no acesso ao material para realizarmos as oficinas e cursos para a popula√ß√£o local‚ÄĚ, afirma. ‚ÄúMas acredito que ser√° uma √≥tima chance de aprendizagem para todos n√≥s e que, certamente, poderemos compartilhar um pouco do que se aprende aqui na Escola de Governo‚ÄĚ, ressalta.

Breno Ribeiro √© aluno do 6¬ļ per√≠odo de Administra√ß√£o Publica na FJP e esta √© a sua primeira participa√ß√£o em um projeto de imers√£o. ‚ÄúEspero que o Rondon seja uma experi√™ncia desafiadora e muito gratificante. A oportunidade de conhecer novas culturas, lugares e pessoas certamente ir√° propiciar a todos os volunt√°rios o desenvolvimento pessoal, profissional e acad√™mico. √Č uma chance √ļnica de sair daquilo que estou acostumado no meu cotidiano e conhecer novas realidades‚ÄĚ, declara o estudante, reiterando que a expectativa √© a melhor poss√≠vel.

Rondon em n√ļmeros - O Projeto Rondon foi lan√ßado em 1967, extinto em 1989 e, desde seu relan√ßamento, em 2005, j√° contemplou 844 munic√≠pios, envolvendo 19.170 volunt√°rios de 291 Institui√ß√Ķes de Ensino Superior em 151 diferentes a√ß√Ķes. At√© o momento, 296 alunos, t√©cnicos e professores da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro j√° participaram do desenvolvimento de a√ß√Ķes no √Ęmbito da administra√ß√£o p√ļblica em 33 munic√≠pios de 19 Estados brasileiros.

O professor √Āgnez Saraiva e parte da equipe de estudantes que participam da Opera√ß√£o Serra do Cachimbo

Imagem: Divulgação

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 | 3448-9588

 

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial