Imprimir

Fundação João Pinheiro mantém pauta permanente de projetos com recorte de gênero

Data de publicação .

Estudos sobre a situa√ß√£o de mulheres em Minas Gerais s√£o realizados desde 2009. Em 2017, uma intensa programa√ß√£o marca as comemora√ß√Ķes do m√™s da mulher na institui√ß√£o.

Protagonismo feminino, igualdade de direitos e oportunidades, mercado de trabalho e pol√≠ticas p√ļblicas com recorte de g√™nero. Embora ainda ganhem mais visibilidade no m√™s de mar√ßo, quando se comemora o dia internacional da mulher, esses temas integram uma pauta permanente de estudos, diagn√≥sticos e atividades de extens√£o desenvolvidas pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro.

Pesquisas sob a perspectiva de gênero com foco na inserção da mulher no mercado de trabalho e nas desigualdades salariais e de oportunidades têm destaque na produção científica da instituição desde 2009. Desde então, diversos projetos, grupos de trabalho, iniciativas voltadas para a discussão de gênero e a participação em fóruns com esta temática passaram a compor as atividades da FJP.

Por meio dessas iniciativas, a Funda√ß√£o objetiva fornecer aos gestores p√ļblicos dados e informa√ß√Ķes sobre a rela√ß√£o entre as pol√≠ticas p√ļblicas e desigualdades sociais, sobre o papel dessas pol√≠ticas como indutoras da igualdade de g√™nero e os desafios para as pol√≠ticas p√ļblicas de g√™nero.

Grupo de Pesquisa Estado, Gênero e Diversidade (Egedi) - Formado por profissionais de diferentes áreas do conhecimento, o grupo foi criado em 2014 e está à frente de projetos de pesquisa e da realização de palestras e debates sobre a situação da mulher nos mais variados contextos. O grupo também promove a discussão sobre a inserção social das minorias como meio de combate à discriminação.

As pesquisas coordenadas pelo Egedit√™m em comum os objetivos de tra√ßar perfis de grupos espec√≠ficos dentro do segmento feminino no Estado e de entender a din√Ęmica profissional da mulher e as desigualdades, considerando vari√°veis como classe social, ra√ßa/etnia, escolaridade, orienta√ß√£o sexual e gera√ß√£o.

Diagnóstico das Mulheres do Campo em Minas Gerais - Desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário de Minas Gerais (Seda), o projeto é fruto de uma demanda apresentada pela Articulação de Mulheres do Campo de Minas Gerais, que congrega 13 movimentos sociais.

‚ÄúA iniciativa tem o objetivo de dar visibilidade e permitir uma melhor compreens√£o do papel dessas mulheres e sua contribui√ß√£o na economia e na vida das nossas popula√ß√Ķes rurais‚ÄĚ, explica Ana Paula Salej, diretora do Centro de Estudos de Pol√≠ticas P√ļblicas (CEPP) da FJP. ‚ÄúEsse projeto est√° nos permitindo tir√°-las do papel de coadjuvantes para mostra-las como pessoas ativas, que dividem e, muitas vezes, lideram o trabalho. Nosso objetivo √© que n√£o s√≥ as pessoas passem a ver essas mulheres de uma forma diferente, mas que tamb√©m elas mesmas se vejam como protagonistas‚ÄĚ, explica.

Iniciado em 2016 e com previsão de conclusão para junho de 2017, o projeto também visa a construção da biografia coletiva Mulheres do Campo de Minas Gerais: trajetórias de vida, de lutas e de trabalho com a terra, que irá retratar a história de 12 mulheres de diferentes comunidades rurais do Estado.

Na atual etapa do projeto, a FJP está consolidando uma análise quantitativa de abrangência estadual com a recuperação de dados estatísticos e de registro disponíveis sobre essas mulheres. Para a análise qualitativa, tiveram destaque, entre outras atividades, as visitas das equipes de pesquisadores a 12 comunidades rurais nos municípios de Belo Horizonte, Bom Despacho, Porteirinha, Santa Fé de Minas, Montes Claros, Itinga, Diamantina, Aimorés, Campo do Meio, Divino, Espera Feliz e Simonésia  entre os meses de outubro e dezembro de 2016.

Esse trabalho em campo deu origem a uma s√©rie especial de oito epis√≥dios do programa Mulhere-se, produzido pela Rede Minas, que teve sua estreia na quinta-feira , 16, e ser√° reapresentado no domingo, 18, √†s 16h. Al√©m disso, todo o material originado pelo projeto ser√° consolidado em um relat√≥rio t√©cnico para subsidiar a Seda na cria√ß√£o e implementa√ß√£o de pol√≠ticas p√ļblicas espec√≠ficas para este grupo social. Paralelamente, um conjunto de cartilhas ser√° disponibilizado para professores e estudantes do ensino fundamental de escolas rurais.

Trajet√≥ria dos EPPGG - Com financiamento da Funda√ß√£o de Amparo √† Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), a pesquisa Trajet√≥ria dos EPPGG prop√Ķe uma an√°lise da carreira dos Especialistas em Pol√≠ticas P√ļblicas e Gest√£o Governamental, profissionais graduados no curso de Administra√ß√£o P√ļblica (Csap) da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro.

‚ÄúNeste projeto temos um recorte de g√™nero em que buscamos perceber o que chamamos de teto de vidro ou labirinto de cristal da carreira, que representam a exist√™ncia de barreiras invis√≠veis para a evolu√ß√£o das mulheres EPPGG, tanto no que se refere √† ascens√£o quanto √†s rela√ß√Ķes estabelecidas‚ÄĚ, afirma Ana Paula Salej.

Ainda em andamento, a pesquisa possibilitou a constru√ß√£o de um banco de dados, atualmente em fase de an√°lise. ‚ÄúA preocupa√ß√£o sobre o espa√ßo da mulher no servi√ßo p√ļblico nos permitiu tamb√©m a aproxima√ß√£o e di√°logo com outros centros de pesquisa, como o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher (Nepem), da UFMG; a Escola Nacional de Administra√ß√£o P√ļblica (Enap); e a universidade de Michigan, nos Estados Unidos‚ÄĚ, acrescenta Salej.

Trabalho social - Em 2016, o projeto Segunda Chance - Educa√ß√£o, parceria da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro com a Secretaria de Estado de Administra√ß√£o Prisional (Seap) e o Servi√ßo Volunt√°rio de Assist√™ncia Social (Servas), assistiu 40 detentas do Pres√≠dio Feminino Jos√© Abranches Gon√ßalves, em Ribeir√£o das Neves. A iniciativa teve o objetivo prepar√°-las para o Exame Nacional do Ensino M√©dio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem-PPL) e mobilizou 23 alunas do curso de Administra√ß√£o P√ļblica da FJP, que ministraram aulas de biologia, f√≠sica, geografia, hist√≥ria, matem√°tica, portugu√™s, qu√≠mica e reda√ß√£o por tr√™s horas di√°rias, duas vezes por semana, entre os meses de agosto e novembro.

Integra√ß√£o -A Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro tamb√©m firmou um Termo de Coopera√ß√£o T√©cnica em 2015 com a Subsecretaria de Pol√≠ticas para as Mulheres da Secretaria de Direitos Humanos, Participa√ß√£o Social e Cidadania (SPM/Sedpac) para apoiar formalmente sua estrutura√ß√£o. Desde ent√£o, alunos do curso de Administra√ß√£o P√ļblica t√™m atuado junto √† subsecretaria e ao Centro Risoleta Neves de Atendimento (Cerna) na organiza√ß√£o de processos e no planejamento estrat√©gico.

A Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro tamb√©m participa do Comit√™ da Transversalidade Para a Igualdade de G√™nero no Estado e do Observat√≥rio Estadual das Desigualdades de G√™nero, coordenados pela Sedpac e voltados para a integra√ß√£o, fomento e difus√£o de pesquisas e outras informa√ß√Ķes relativas aos direitos das mulheres e √†s desigualdades de g√™nero.

‚ÄúAs conquistas da mulher est√£o muito al√©m da sua capacidade de reprodu√ß√£o. E nossos esfor√ßos e atua√ß√£o s√£o para que haja uma revis√£o desse papel na sociedade‚ÄĚ, observa Ana Paula Salej.

Mar√ßo Mulheres na FJP - Para homenagear o Dia Internacional da Mulher, comemorado no √ļltimo dia 8, a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro est√° promovendo uma s√©rie de eventos durante todo o m√™s de mar√ßo, para os p√ļblicos interno e externo, al√©m de postagens di√°rias na p√°gina oficial da institui√ß√£o no Facebook com dados, informa√ß√Ķes e curiosidades sobre a tem√°tica feminina e sobre mulheres que fizeram e fazem hist√≥ria.

Programação:


20 de março

In√≠cio [ambienta√ß√£o] do curso a dist√Ęncia [EaD]: G√™nero e Pol√≠ticas P√ļblicas

 

Jardins do campus Pampulha - 2¬ļ andar

12h - Intervenção: Saiaço [Paola Rettore - FJP]

12h30 - Roda de Conversa: Estereótipos

 

22 de março

Audit√≥rio principal - 2¬ļ andar

13h20 - Mesa-Redonda: Mulheres Negras [Ros√Ęnia Sousa - FJP; Jord√Ęnia Fernanda da Silva Mariana - Quilombo Cachoeira dos Forros; e Daniela Tifanni - ALMG]

 

24 de março

12h30 - Programa Sintonia P√ļblica [R√°dio Inconfid√™ncia - AM 880]: Mulheres Negras

 

27 de março

Hall dos elevadores - 2¬ļ andar

8h - Mostra #maisqueservidora [até 31 de março]

 

Jardins do campus Pampulha - 2¬ļ andar

12h - Intervenção: Contempla [Paola Rettore - FJP]

 

29 de março

Audit√≥rio principal - 2¬ļ andar

13h20 - Mesa-Redonda: Mulheres no mercado de trabalho e no servi√ßo p√ļblico [Let√≠cia Godinho - FJP; Marcela Tr√≥pia - EPPGG; e D√©bora Adorno - EPPGG]

 

31 de março

12h30 - Programa Sintonia P√ļblica [R√°dio Inconfid√™ncia - AM 880]: Mulheres no mercado de trabalho e no servi√ßo p√ļblico

 

 

Programação da série especial do programa Mulhere-se, da Rede Minas - Mulheres do Campo de Minas Gerais [toda quinta, às 21h, com reapresentação aos domingos, às 16h]:

 

16/03: Belo Horizonte [reapresentação: 19/03]

23/03: Porteirinha I [reapresentação: 26/03]

30/03: Porteirinha II - Sa√ļde¬†[reapresenta√ß√£o: 02/04]

06/04: Santa Fé [reapresentação: 09/04]

13/04: Resplendor [reapresentação: 16/04]

20/04: Espera Feliz [reapresentação: 23/04]

27/04: Simonésia I [reapresentação: 30/04]

04/05:¬†Simon√©sia¬†II Sa√ļde [reapresenta√ß√£o: 07/ 05]

 

Imagem: freepik.com 

 

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 / 3448-9588

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial