Imprimir

PIB de Minas Gerais retrai 0,6% no terceiro trimestre de 2016

Data de publicação .

 

 

 

3¬į Trimestre de 2016 ‚Äď Depois de ter apresentado sinal de relativa estabiliza√ß√£o, com desempenho ligeiramente positivo no segundo trimestre deste ano, em rela√ß√£o ao trimestre imediatamente anterior, o PIB mineiro voltou a apresentar resultado negativo. No terceiro trimestre de 2016 houve retra√ß√£o de 0,6%, em termos reais, em rela√ß√£o ao segundo trimestre do ano, considerando a an√°lise da s√©rie com ajuste sazonal. Os dados s√£o parte do Monitor FJP ‚Äď Produto Interno Bruto ‚Äď 3¬į Trimestre/2016, publicado pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) nesta quarta-feira, 14 de dezembro, no site da institui√ß√£o.

No caso do PIB brasileiro, para o mesmo período e na mesma base de comparação, o resultado divulgado pelo IBGE apresentou uma retração de 0,8%.

Os dados, consolidados na Tabela 1, revelam que a retra√ß√£o do PIB mineiro foi resultado de desempenho negativo nos tr√™s setores produtivos: agropecu√°ria (-3,8%), ind√ļstria (-1,0%) e servi√ßos (-0,5%).

Diferentemente do que ocorrera no período anterior, o setor agropecuário apresentou resultado negativo no terceiro trimestre de 2016, em comparação com o trimestre anterior. Desta feita, a expansão da produção de café arábica no trimestre não foi suficiente para compensar a queda na quantidade produzida de diversas culturas, tais como o milho 2ª safra, feijão 2ª e 3ª safra, sorgo, trigo, banana, abacaxi, cebola e mandioca.

J√° a retra√ß√£o da ind√ļstria em Minas Gerais no terceiro trimestre de 2016 na s√©rie com ajuste sazonal esteve relacionada ao desempenho de tr√™s dos quatro subsetores em que a metodologia do PIB trimestral permite desagregar a atividade industrial: a constru√ß√£o civil (-2,3%), a ind√ļstria de transforma√ß√£o (-1,1%) e a extrativa mineral (-1,1%). Em rela√ß√£o ao primeiro subsetor a performance desfavor√°vel ainda est√° atrelada ao excesso de oferta de unidades residenciais prontas e √† dificuldade de repasse para compradores finais em um contexto de restri√ß√£o de cr√©dito e endividamento das fam√≠lias. No caso da ind√ļstria de transforma√ß√£o, o resultado negativo pode ser atribu√≠do ao ritmo mais fraco na produ√ß√£o de bens de capital (m√°quinas e equipamentos, produtos de metal e ve√≠culos automotores), al√©m da queda na fabrica√ß√£o de fumo e minerais n√£o-met√°licos. O desempenho da ind√ļstria extrativa mineral segue sendo afetado pelos efeitos do rompimento da barragem de Mariana em um cen√°rio de baixa nos pre√ßos internacionais do min√©rio de ferro. Apenas o segmento de energia e saneamento apresentou expans√£o (3,1%), que pode ser explicada pela melhora na gera√ß√£o hidroel√©trica estadual.

Nos servi√ßos, a queda de 0,5% no n√≠vel de atividade foi influenciada pelas retra√ß√Ķes nas margens de transporte (-1,9%) e de com√©rcio (-0,8%), al√©m do comportamento do agrupamento de outros servi√ßos[1] (-1,4%). A exemplo do que ocorreu no trimestre anterior, os subsetores de alugu√©is e administra√ß√£o p√ļblica apresentaram oscila√ß√£o positiva, de 0,4% e 0,3%, respectivamente.

Acumulado no Ano ‚Äď No per√≠odo que vai de janeiro a setembro de 2016, em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo do ano passado, Minas Gerais apresentou redu√ß√£o de 3,1% do PIB. No mesmo per√≠odo, e na mesma base de compara√ß√£o, o PIB brasileiro decresceu 4,0%. O setor agropecu√°rio foi o respons√°vel por atenuar a retra√ß√£o do PIB mineiro, que tamb√©m apresentou crescimento no PIB estimado para os subsetores da ind√ļstria de energia e saneamento (13,7%), e de servi√ßos de alugu√©is (2,3%) e de administra√ß√£o p√ļblica (0,5%). No entanto, a expans√£o de 6,3% no PIB do setor agropecu√°rio foi ofuscada pela retra√ß√£o de 7,4% no PIB do setor industrial e de 2,2% no PIB do setor de servi√ßos.

 

Revis√£o - Em novembro de 2016 a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) divulgou o resultado definitivo do PIB de 2014, a retropola√ß√£o na nova metodologia (refer√™ncia 2010) e alguns ajustes pontuais nos resultados de 2010-2013 em raz√£o de altera√ß√Ķes nas Contas Nacionais com impactos nas Contas Regionais. Entretanto, tanto a retropola√ß√£o quanto os ajustes pontuais nos resultados de 2010-2013 e o resultado definitivo de 2014 ainda n√£o foi incorporada neste momento √†s Contas Trimestrais do Estado. Isto ocorrer√° nas pr√≥ximas divulga√ß√Ķes, quando a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro concluir√° os aperfei√ßoamentos metodol√≥gicos no PIB Trimestral de Minas Gerais e revisar√° toda a s√©rie encadeada. De qualquer forma, para al√©m das observa√ß√Ķes acima, os resultados s√£o preliminares e os c√°lculos s√£o sempre revistos com dois ajustes principais: 1) atualiza√ß√£o da estrutura de pondera√ß√£o das atividades econ√īmicas no valor adicionado da economia do Estado; e 2) substitui√ß√£o de proje√ß√Ķes ou valores preliminares nas s√©ries de dados prim√°rios utilizados no c√īmputo do PIB trimestral por valores consolidados. Os procedimentos de revis√£o s√£o semelhantes aos adotados pelo IBGE no que diz respeito √†s Contas Nacionais Trimestrais, e os resultados definitivos s√£o divulgados usualmente com defasagem de dois anos.

 

[1] Inclui os servi√ßos de alojamento e alimenta√ß√£o; os servi√ßos de informa√ß√£o e comunica√ß√£o; a intermedia√ß√£o financeira, seguros e previd√™ncia complementar; as atividades profissionais, cient√≠ficas, t√©cnicas e administrativas; educa√ß√£o e sa√ļde privada; servi√ßos dom√©sticos e os servi√ßos prestados as fam√≠lias com esporte, artes, cultura e recrea√ß√£o.

 

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br/

 

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 / 3448-9580

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial