Imprimir

PIB de Minas Gerais retrai 4,9% em 2015

Data de publicação .

O Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais recuou 4,9%, em termos reais, em 2015. A retra√ß√£o foi maior do que a registrada para o PIB brasileiro, que foi de 3,8%, na mesma base de compara√ß√£o. Os dados s√£o parte do Monitor FJP ‚Äď Produto Interno Bruto ‚Äď 4¬į Trimestre/2015, publicado pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) nesta quarta-feira, 23 de mar√ßo, no site da institui√ß√£o.

No caso do Brasil, a varia√ß√£o negativa deveu-se, sobretudo, ao desempenho ruim dos setores industrial e de servi√ßo, que decresceram, respectivamente, 6,2% e 2,7% e ofuscaram o crescimento de 1,8% registrado para o setor agropecu√°rio (Tabela 1). No conjunto, esses resultados apontam para uma retra√ß√£o econ√īmica que j√° vinha se delineando desde 2014, quando o PIB brasileiro ainda apresentou varia√ß√£o positiva, mesmo que no limite inferior (0,1%).

 

Tabela 1: Produto Interno Bruto e Valor Adicionado ‚Äď Taxas de varia√ß√£o anual sem ajuste sazonal, Brasil, 2011 ‚Äď 2015 (%)

Agregados Macroecon√īmicos

2011

2012

2013

2014

2015

PIB (preços mercado)

3,9

1,9

3,0

0,1

-3,8

Agropecu√°ria

5,6

-3,1

8,4

2,1

1,8

Ind√ļstria

4,1

-0,7

2,2

-0,9

-6,2

Serviços

3,4

2,9

2,8

0,4

-2,7

Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) - Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes (CEI). Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) - Contas Nacionais Trimestrais.

 

A exemplo do resultado geral do PIB, a variação setorial foi mais expressiva em Minas Gerais do que no conjunto do Brasil.  Chama a atenção o fato de que apenas no setor serviços o desempenho em Minas foi similar àquele registrado para o Brasil. 

‚ÄúO setor de servi√ßos est√° refletindo o que est√° acontecendo com o mercado interno, que depende, em grande medida, do consumo das fam√≠lias‚ÄĚ explicou o coordenador de Contas Regionais da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro, Raimundo Leal. ‚ÄúEsse consumo √© influenciado pela massa de rendimentos que √© apropriada, principalmente, pelos trabalhadores. A massa de rendimentos reais da economia, por sua vez, vem apresentando retra√ß√£o, tanto pela redu√ß√£o do n√ļmero de trabalhadores ocupados em 2015, quanto pelo rendimento m√©dio desses trabalhadores, que sofreu reajustes que n√£o acompanharam a infla√ß√£o‚ÄĚ, completou.

No setor industrial a economia mineira retraiu 9,1%, valor bem acima da redução de 6,2% registrada para o conjunto do Brasil. No setor agropecuário a variação foi positiva no Brasil (1,8%) e negativa em Minas Gerais (2,3%).

Em Minas Gerais, a desacelera√ß√£o no n√≠vel de atividade econ√īmica vem sendo observada desde o bi√™nio 2011-2012, quando se intensificou o processo de redu√ß√£o no volume de valor agregado nos setores de servi√ßos e, sobretudo, no setor industrial. O comportamento do setor agropecu√°rio, diferentemente dos outros setores, n√£o apresenta tend√™ncia definida de redu√ß√£o no volume de valor adicionado, pois depende da ocorr√™ncia ou n√£o de intemp√©ries clim√°ticas ao longo dos anos (Tabela 2).

Tabela 2: Produto Interno Bruto e Valor Adicionado1: Taxas de varia√ß√£o anual sem ajuste sazonal, Minas Gerais, 2011 ‚Äď 2015 (%)

Agregados Macroecon√īmicos

2011

2012

2013

2014

2015

PIB (preços mercado)

2,4

3,3

0,4

-0,8

-4,9

VA (preços básicos)

2,2

3,1

0,2

-0,9

-4,8

Agropecu√°ria

-0,8

17,8

-0,1

-6,4

-2,3

Ind√ļstria Total

2,6

0,0

-1,5

-2,6

-9,1

        Extrativa Mineral

2,0

-0,4

-5,1

2,0

-1,1

        Transformação

0,9

-1,9

-0,2

-4,5

-12,7

        Construção Civil

6,3

3,8

3,9

-4,5

-8,8

        Energia e saneamento

4,7

0,9

-11,6

-0,4

-12,2

Serviços

2,3

3,2

1,1

0,4

-2,8

        Comércio

4,3

0,0

0,0

-0,8

-7,9

        Transporte

4,2

-0,8

1,9

1,3

-5,9

        Aluguéis

1,4

6,1

3,1

3,4

1,8

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† Administra√ß√£o P√ļblica

1,9

1,0

2,0

0,4

0,1

        Outros Serviços

1,4

6,5

0,2

-1,8

-3,6

Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP), Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes (CEI).

(1) Os resultados de 2014 e 2015 s√£o preliminares (ver considera√ß√Ķes).

 

Especificamente em 2015, a redu√ß√£o do n√≠vel de atividade em Minas Gerais refletiu, em boa medida, os efeitos das condi√ß√Ķes clim√°ticas e da estiagem sobre o comportamento de dois setores econ√īmicos: a agropecu√°ria e o segmento de energia e saneamento. A falta de chuva prejudicou o setor agropecu√°rio ao longo do ano e afetou o n√≠vel dos reservat√≥rios de √°gua do estado, sobretudo de Furnas, culminando na diminui√ß√£o na gera√ß√£o hidroel√©trica de Minas Gerais.

‚ÄúNo ano passado, o setor de Energia e Saneamento chegou a uma situa√ß√£o cr√≠tica, com as usinas mineiras produzindo, em m√©dia, um ter√ßo do que produziam em 2013‚ÄĚ, observou Leal. No segmento, a redu√ß√£o foi de 12,2%.

J√° a agropecu√°ria mineira, em 2015, recuou 2,3%, com queda na quantidade produzida na safra em dois dos principais produtos da pauta agr√≠cola mineira: o caf√© e a cana-de-a√ß√ļcar. ‚ÄúEmbora 2015 tenha sido um ano positivo para os resultados agregados do setor agropecu√°rio no pa√≠s, isso n√£o ocorreu em Minas. Em grande medida, isso √© uma resposta ao que aconteceu com a colheita de caf√© no estado, que veio bem abaixo do esperado‚ÄĚ, afirmou Raimundo Leal.

Al√©m do segmento de energia e saneamento, a ind√ļstria de transforma√ß√£o e a constru√ß√£o civil em Minas Gerais tiveram quedas de, respectivamente, 12,7% e 8,8% em 2015. A retra√ß√£o na fabrica√ß√£o de bens de capital (de 33,1% no caso de ve√≠culos e de 38% no que se refere a m√°quinas e equipamentos, por exemplo) explica a intensidade da queda na atividade da ind√ļstria de transforma√ß√£o. O desempenho do setor de extra√ß√£o mineral, por sua vez, teve retra√ß√£o de 1,1% e foi influenciado pelo resultado negativo do quarto trimestre do ano, em raz√£o do rompimento da barragem em Mariana e a consequente paralisia no n√≠vel de atividade na regi√£o.

Como consequ√™ncia do desempenho desses quatro subsetores industriais (energia e saneamento, transforma√ß√£o, constru√ß√£o civil e extrativa mineral) em Minas Gerais, a ind√ļstria mineira fechou 2015 com redu√ß√£o de 9,1% no volume de valor adicionado. Nos servi√ßos, a queda do n√≠vel de atividade foi de 2,8%, influenciada pela retra√ß√£o nas margens de com√©rcio (7,9%) e transporte (5,9%).

4¬į Trimestre de 2015

De outubro a dezembro de 2015, comparativamente ao trimestre imediatamente anterior, o PIB de Minas Gerais recuou 1,8% na an√°lise da s√©rie com ajuste sazonal. Esta retra√ß√£o foi puxada, principalmente, pelo comportamento do setor industrial, que apresentou queda de 3,2% no per√≠odo ‚Äď resultado influenciado pelo rompimento da barragem em Mariana (a ind√ļstria extrativa mineral apresentou decl√≠nio de 10,7%). Al√©m disso, houve varia√ß√£o negativa no setor agropecu√°rio (3,3%) ‚Äď explicada, em parte, pela redu√ß√£o na produ√ß√£o de algumas colheitas no final do ano (como a terceira safra do feij√£o e da batata). Nesta mesma √≥tica de compara√ß√£o, houve decr√©scimo de 0,7% no volume de valor adicionado pelo setor de servi√ßos no estado (Tabela 3).

Tabela 3: Produto Interno Bruto e Valor Adicionado1: Taxa de variação em relação ao trimestre imediatamente anterior, série com ajuste sazonal, Minas Gerais, 2015

Agregados Macroecon√īmicos

1¬į Trimestre

2¬į Trimestre

3¬į Trimestre

4¬į Trimestre

PIB (preços mercado)

-2,2

-1,9

-1,4

-1,8

VA (preços básicos)

-2,1

-1,7

-1,4

-1,8

Agropecu√°ria

-18,0

5,1

-0,7

-3,3

Ind√ļstria Total

-2,2

-2,9

-3,0

-3,2

        Extrativa Mineral

2,4

2,2

-0,1

-10,7

        Transformação

-3,4

-5,3

-4,3

-2,7

        Construção Civil

-1,8

-4,8

-1,2

-2,8

        Energia e saneamento

-6,5

-3,1

-2,4

5,1

Serviços

-0,8

-1,4

-0,8

-0,7

        Comércio

-2,2

-3,9

-2,8

-2,3

        Transporte

1,4

-3,8

-3,9

-0,4

        Aluguéis

0,3

0,5

0,4

0,4

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† Administra√ß√£o P√ļblica

-0,2

0,2

0,6

0,1

        Outros Serviços

-0,5

-1,1

-1,5

-1,8

Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP), Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes (CEI).

(1) Os resultados de 2015 s√£o preliminares (ver considera√ß√Ķes).

No Brasil, o PIB encolheu 1,4% em termos reais no quarto trimestre de 2015, em rela√ß√£o ao trimestre imediatamente anterior, o que pode ser explicado pelas retra√ß√Ķes equivalentes e da mesma magnitude no n√≠vel de atividade do setor industrial e de servi√ßos (1,4%), que anularam a expans√£o de 2,9% da atividade agropecu√°ria (Tabela 4).

Tabela 4: Produto Interno Bruto e Valor Adicionado: Taxa de varia√ß√£o do 4¬ļ trimestre de 2015 em rela√ß√£o ao trimestre imediatamente anterior, s√©rie com ajuste sazonal (%), Minas Gerais e Brasil, 2015

Agregados Macroecon√īmicos

Minas Gerais

Brasil

PIB (preços mercado)

-1,8

-1,4

VA (preços básicos)

-1,8

-1,3

Agropecu√°ria

-3,3

2,9

Ind√ļstria

-3,2

-1,4

Serviços

-0,7

-1,4

Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro ‚Äď Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes. Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica ‚Äď Contas Nacionais Trimestrais

Considera√ß√Ķes

Estes resultados s√£o preliminares e, naturalmente, est√£o sujeitos a revis√£o. Os c√°lculos s√£o sempre revistos em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE), com dois ajustes principais: 1) atualiza√ß√£o da estrutura de pondera√ß√£o das atividades econ√īmicas no valor adicionado da economia do Estado; e 2) substitui√ß√£o de proje√ß√Ķes ou valores preliminares nas s√©ries de dados prim√°rios utilizados no c√īmputo do PIB trimestral por valores consolidados. Os procedimentos de revis√£o s√£o semelhantes aos adotados pelo IBGE no que diz respeito √†s Contas Nacionais Trimestrais, e os resultados definitivos s√£o divulgados usualmente com defasagem de dois anos. Al√©m disso, deve ser destacado que o IBGE j√° completou o processo de atualiza√ß√£o da metodologia do PIB Trimestral √† nova metodologia de c√°lculo do PIB anual, conforme publicado na nova refer√™ncia (2010) do Sistema de Contas Nacionais, mas a FJP ainda dever√° completar o processo de atualiza√ß√£o metodol√≥gica do PIB Trimestral de Minas Gerais.

 

Fundação João Pinheiro | Assessoria de Comunicação

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

www.fjp.mg.gov.br

 

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 / 3448-9580

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial