Imprimir

Fundação João Pinheiro apresenta nova série de cálculo do PIB mineiro

Data de publicação .

Metodologia adotada altera resultados de 2010 a 2013

A Fundação João Pinheiro apresentou nesta quinta-feira, 19 de novembro, os resultados da nova metodologia para o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais para o período 2010-2013, desenvolvida em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e órgãos estaduais de estatística das demais unidades federativas.

A nova s√©rie do Sistema de Contas Regionais do Estado adota 2010 como refer√™ncia e incorpora recomenda√ß√Ķes da mais recente revis√£o do Manual de Contas Nacionais organizado pela Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU), Fundo Monet√°rio Internacional (FMI), Organiza√ß√£o para Coopera√ß√£o e Desenvolvimento Econ√īmico (OCDE) e Banco Mundial.¬† Al√©m de atualiza√ß√Ķes metodol√≥gicas, destacam-se neste estudo a classifica√ß√£o integrada √† vers√£o 2.0 da Classifica√ß√£o Nacional de Atividades Econ√īmicas (Cnae) e a atualiza√ß√£o das refer√™ncias estruturais, como o Censo Agropecu√°rio de 2006, que substituiu o de 1996.

Segundo o coordenador do Sistema de Contas Regionais, Raimundo Leal, tamb√©m houve mudan√ßas no sistema de apura√ß√£o de resultados.¬† ‚ÄúDentre as in√ļmeras altera√ß√Ķes, destacamos a publica√ß√£o da conta de distribui√ß√£o prim√°ria e de gera√ß√£o da renda no estado, pois antes era divulgada somente a de produ√ß√£o. Outra quest√£o importante √© a nova classifica√ß√£o do setor de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), que deixa de ser tratado como custo e passa a ser investimento‚ÄĚ.

O valor nominal (pre√ßos correntes) do PIB mineiro na nova s√©rie foi estimado em R$ 487 bilh√Ķes em 2013. Para os anos anteriores, houve varia√ß√£o com a aplica√ß√£o da nova metodologia, passando de R$ 351,4 para R$ 351,1 bilh√Ķes em 2010; de R$ 386,2 para R$ 400 bilh√Ķes em 2011; e de R$ 403,6 para R$ 441,7 bilh√Ķes em 2012.

O resultado agregado das varia√ß√Ķes em volume, que correspondem ao crescimento real da economia mineira, tamb√©m foram alterados: de 2,8% para 2,4% em 2011; de 2,5% para 3,3% em 2012; e de 0,9% para 0,4% em 2013.

De acordo com Leal, a participa√ß√£o do PIB de Minas Gerais no total nacional tamb√©m sofreu revis√Ķes. ‚ÄúEm rela√ß√£o ao pa√≠s, temos uma estimativa de participa√ß√£o 9,2% em 2013. Para os anos anteriores, os percentuais passaram de 9,3 para 9,0 em 2010; de 9,3 para 9,1 em 2011; e se manteve 9,2 em 2012‚ÄĚ.

Setores da economia

O crescimento acumulado entre 2010 e 2013 foi revisto, passando de 6,3% na metodologia anterior, para 6,2% na nova metodologia. Desse total, 1,3% resultou do crescimento no setor agropecu√°rio, 0,9% da constru√ß√£o e 4,3% nos servi√ßos. A ind√ļstria extrativa, a ind√ļstria de transforma√ß√£o e a de eletricidade tiveram desempenho negativo (- 0,4%, - 0,1% e - 0,3%, respectivamente).

 

Taxa de variação do PIB de Minas Gerais

Ano Nova metodologia Antiga metodologia
2011 2,4 2,8
2012 3,3 2,5
2013 0,4 0,9

Fonte: FJP, Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes, Sistema de Contas Regionais de Minas Gerais; IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordena√ß√£o de Contas Nacionais.

 

Decomposi√ß√£o setorial do crescimento econ√īmico em Minas Gerais - 2010-2013

Fonte: FJP, Centro de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes, Sistema de Contas Regionais de Minas Gerais; IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordena√ß√£o de Contas Nacionais.

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br/

 

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial