Imprimir

20.12.2016 - Retração da economia pode ser maior em Minas

Data de publicação .

 

 

 

 

Estado de Minas

Terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Com queda de 0,6% do PIB do estado no terceiro trimestre, taxa acumulada em 2016 deve ficar negativa em cerca de 3,7%

Marta Vieira

Minas Gerais voltou a enfrentar queda da atividade econ√īmica no terceiro trimestre deste ano, depois dos sinais de estabilidade que haviam surgido de abril a junho. O estado encolheu 0,6% entre julho e setembro, na compara√ß√£o com o trimestre anterior, marcado por ligeira varia√ß√£o de positiva de 0,1%, embora importante por dar sequ√™ncia a cinco trimestres de retra√ß√£o. Os dados s√£o resultado do Produto Interno Bruto (PIB, o conjunto da produ√ß√£o de bens e servi√ßos de Minas), divulgado ontem pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP), de Belo Horizonte, e que foi influenciado pela redu√ß√£o intensa da produ√ß√£o da ind√ļstria e da constru√ß√£o civil.

O¬†agroneg√≥cio¬†tamb√©m foi decisivo para a perda no terceiro trimestre, informou o pesquisador da FJP Glauber Silveira. O setor recuou 3,8% de julho a setembro em raz√£o do fim da colheita em junho de oito grandes culturas desenvolvidas em Minas: milho, feij√£o, sorgo, trigo, banana, abacaxi, cebola e mandioca. A produ√ß√£o das lavouras de soja, peso-pesado da produ√ß√£o mineira, da mesma forma, foi toda colhida no primeiro semestre. Com o fechamento do trimestre at√© setembro, a expectativa para o balan√ßo de 2016 √© de retra√ß√£o de cerca de 3,7% do estado, devido, principalmente ao mau desempenho da extra√ß√£o de minerais e da ind√ļstria de transforma√ß√£o.¬†

Se confirmada a taxa estimada, ela ser√° superior √† estimativa para o Brasil, de 3,48% neste ano, com base nos relat√≥rios de analistas de bancos e corretoras ouvidas pelo¬†Banco Central. ‚ÄúUma vez confirmada essa queda, ficar√≠amos em situa√ß√£o pior do que a do Brasil devido, principalmente, ao desempenho ruim do setor extrativo mineral, mais importante para a ind√ļstria mineira do que para a m√©dia nacional‚ÄĚ, afirma Glauber Silveira.¬†

 

De acordo com a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro, a ind√ļstria extrativa mineral sofreu recuo de 14,6% neste ano, em consequ√™ncia da paralisa√ß√£o das atividades da Samarco Minera√ß√£o, depois do rompimento da barragem de min√©rio de ferro de Fund√£o, em Mariana, na Regi√£o Central do estado ‚Äď maior desastre ambiental ocorrido no pa√≠s ‚Äď e da redu√ß√£o do ritmo de atividade da mineradora Vale, que est√° aumentando sua produ√ß√£o em Caraj√°s (PA), com a entrada em opera√ß√£o da reserva batizada de S11D. A minera√ß√£o contribui com 6,1% do resultado da ind√ļstria no¬†PIB de Minas, que, por sua vez, responde por 28,8% do total.¬†

 

Na compara√ß√£o com o terceiro trimestre de 2015, o desempenho do estado, de julho a setembro, ficou negativo em 1,9% e no acumulado do ano, frente aos nove primeiros meses do ano passado, a economia mineira encolheu 3,1%, ainda segundo o levantamento da funda√ß√£o. A queda de 1% da ind√ļstria no terceiro trimestre reflete, em particular, a paralisa√ß√£o da minera√ß√£o de ferro em Mariana e a m√° performance das f√°bricas de bens de capital (m√°quinas e equipamentos) e de autom√≥veis.

 

O encolhimento da ind√ļstria mineira √© observado em boa parte dos segmentos, incluindo a constru√ß√£o civil. ‚ÄúH√° excesso de oferta e pouca demanda para o setor, porque as pessoas est√£o endividas, com a renda comprometida, e o desemprego √© alto no pa√≠s‚ÄĚ, diz o pesquisador Glauber Silveira, tamb√©m professor da escola de administra√ß√£o e neg√≥cios Ibmec.